Arquivo da Categoria: Projetos em Sala

EXPOSIÇÃO CEID´Outeiro

“À noite no museu – A TERRA EM NÓS”
No seguimento das comemorações da semana dos museus, o jardim-de-infância CEID’Outeiro, organizou a exposição – “A TERRA EM NÓS”, e abriu portas das 20h às 21h30.
Esta exposição resultou de um conjunto de projetos elaborados nas salas e que ganharam vida no Museu (vários espaços do J.I.), na noite dos Museus.
– «Ao entrarem nesta viagem desde o Universo…vão chegar às pessoas… aos cheiros… lugares distantes… …sabores… conhecer animais… experiências…
poder descobrir o tamanho da nossa curiosidade…das ideias…partilhas e pesquisas…em projeto…uns com os outros, vivendo a “Terra em nós” »

INÍCIO da Exposição – Projeto: “porque é que não há gravidade no espaço”  +
PLANETÁRIO – Projeto “planeta terra”

Na sala da VULCANOLOGIA, o Projeto “vulcões” e “Açores, terra do Pico”:

SALA do JOGO DRAMÁTICO – Projeto “O continente africano”:

Nos corredores, sala de transição e pátio – Projetos: “o crocodilo do Nilo” , “tigre”, “as cobras” e “como é que as abelhas fazem a polinização”:

Na sala das expressões – Projetos “as cores do mar dos açores”, a pintura de “Almada Negreiros” (natural de São Tomé / continente africano) e as “cores d’Africa”:

CEI O Nosso Sonho – Um projeto Especial

Tudo começou com o projeto “Aveiro”, quando uma criança que visitou a cidade, a referiu como um lugar especial, por ser onde a avó mora.
No Natal as famílias do CEI foram convidadas a criar uma decoração com os seus lugares especiais.
Juntaram-se então 3 crianças à volta de um mapa para encontrar alguns desses lugares, e acabaram por descobrir muitas outras cidades. Foi assim iniciado o projeto – “As 3 cidades mais importantes de Portugal ”.

As cidades escolhidas – Porto, Lisboa e Faro, que representam as 3 regiões do país, deram pano para mangas, na descoberta do nosso património cultural. Foram muitas as aprendizagens partilhadas em sala, visitas ao exterior, atividades lúdicas com as famílias (corrida de barcos rabelos, defesa da cidade de lisboa no Castelo de são Jorge, jogo de futebol no estádio de Faro…), elaboração de monotipias, e até as danças populares – o Pica do 7, o Vinho do Porto e o Corridinho do Algarve.

 

Projeto “A Geneta” / Colocação de sinal no PNSC

Por iniciativa e proposta do CEID’Outeiro a Cascais Ambiente (CMC) aceitou sinalizar no PNSC – Parque Natural Sintra Cascais, este animal silvestre – a GENETA. É um animal escasso (cerca de 20 neste parque) devido ao seu modo de vida solitário, o que dificulta a reprodução.

Como começou o projeto no CEID´Outeiro…
“Eu encontrei uma geneta morta na estrada, ao lado do passeio(…)”
Como não sabíamos o que era uma geneta, quisemos fazer um projeto para investigar:

desenhos“deve ter 4 patas”

“Os carros atropelam as genetas na estrada”

“Correm rápido”

“Vivem na floresta”

“Deve ter pêlo”

“Há poucas genetas? (estão em extinção?)”

“Têm garras afiadas”

“O que comem?”

O percurso, a investigação e as aprendizagens feitas em grupo, resultaram na colocação da placa pela Cascais Ambiente a 23 de novembro, no parque natural Sintra Cascais, Campo Base Pedra Amarela.

Educadora da Sala Intelectual:
Cristina Prazeres 

 

Projeto «Educar para a cidadania»

sersolidario_

Frase de Madalena Mariano (5 anos)

familiassolidariasO Banco Alimentar contra a Fome enviou uma carta ao CEID’Outeiro a propor-nos a participação no seu projeto “Educar para a cidadania”, tendo sido recebida com entusiasmo pelas crianças.
Os alimentos começaram a chegar à nossa escola (com o envolvimento e participação das famílias) e decidimos fazer uns crachás de agradecimento com a frase da Madalena e com a colaboração de ilustrações elaboradas pelo grupo.

A quem quiser juntar-se a esta causa, pode trazer o seu donativo ao Edf. IDEIA Outeiro, até ao próximo dia 18 Novembro.

ba-ceidout“Pretende-se deixar a semente da cidadania às gerações futuras, o Banco Alimentar propõe-se trabalhar neste projeto os valores: verdade, liberdade, tolerância, partilha, solidariedade, respeito pela dignidade do homem, direitos humanos, promoção da justiça, concórdia, participação e intervenção cívica e respeito pelo ambiente.” Banco Alimentar contra a Fome (BA)

O projeto inclui:
– sessão de esclarecimento às famílias sobre o Banco Alimentar contra a Fome (BA)
– campanha de recolha de alimentos
– sessões com exploração de contos dinamizados pela equipa do BA.
– visita ao armazém do BA.

Como tudo começou..
Na sala (Intelectual) falámos sobre o projeto e propusemos participar, depois dessa conversa surgiram algumas dúvidas:
– O que é o Banco alimentar?
– O que faz?
– Como?
– O que é a fome?
Fizemos uma pesquisa sobre o trabalho desenvolvido pelo BA e uns cartazes com toda essa informação (em exposição no hall de entrada da creche)

Passado uns dias, uma das crianças trouxe um saco de alimentos e disse:
– “Eu pedi à minha mãe alguns alimentos porque acho que também posso ajudar”.
Foi assim que iniciámos uma recolha de alimentos e posteriormente algumas sessões pelas salas L, XL (creche), 1º e 2º ano, 3º ano e 4º ano do 1º CEB a explicar o projeto.

Educadora Cristina Prazeres, CEID’ Outeiro

SABER MAIS: Site da Federação Portuguesa dos Bancos Alimentares Contra a Fome – http://www.bancoalimentar.pt/

A corrida de caracóis

1

Atletas: Lina Baltazar, Vítor Aurora, António Lena, Clara Luís, Zé Divina, Amélia Jaime e Clara Gaspar.

O projeto “os caracóis” surgiu porque encontrámos um caracol na parede da nossa sala que começou a “comer” alguns dos nossos registos.

Em grupo, falámos sobre o caracol e porque é que andava a comer os nossos desenhos. Chegámos à conclusão que deveria ter fome.
– “o que é que os caracóis comem? Perguntou a Beatriz
– “eu também queria saber se eles têm ossos?disse o Ricardo.

Organizámos um grupo com a Beatriz, a Benedita e a Matilde S. que se propuseram investigar os caracóis. Descobrimos que são molúsculos, têm concha, um muco que largam e que os ajuda a subir pelas paredes, não ouvem, são ovíparos, colocam os ovos na terra….,

Entretanto pensámos que deveríamos construir uma casa para o caracol e depois de sabermos que vivem em ambientes húmidos, precisam de terra e comem plantas.
Planeámos a construção de um terrário, fomos à rua recolher areão, pedras, paus, terra.

O pai de um dos meninos trouxe-nos outro caracol.
– “… bem, com dois caracóis é preciso dar-lhes um nome.
Na nossa pesquisa aprendemos que os caracóis são hermafroditas e por isso a decisão foi colocar-lhes um nome masculino e outro feminino. Fizemos a lista dos nomes femininos e masculinos e seguiu-se a votação, o caracol que andava na parede ficou com o nome de Lina Baltazar, o outro é o Vítor Aurora. Mas como foram chegando outros caracóis à sala, vindos dos jardins, da horta…tivemos de escolher outros nomes e hoje vivem no nosso terrário o caracol António Lena, a Clara Luis, o Zé Divina, Amélia Jaime e a Clara Gaspar.

O projeto foi comunicado ao grupo, passámos a ter mais uma tarefa na sala – cuidar do Terrário, porque todos os dias é preciso humidificá-lo.
E como de vez em quando alguns caracóis fogem “a correr” do terrário e vêm espreitar cá para fora… a Educadora Cristina Prazeres propôs:
– “Vamos fazer uma corrida de caracóis?

CEID´Outeiro Sala Intelectual 2015-2016

Carros de emergência

No jardim de infância de Tires, tentámos perceber “para que servem os carros de bombeiros, da polícia e ambulâncias, mas fazemos alguma confusão entre eles (..)” Começámos então um novo projeto para aprender mais sobre os carros e profissões!”

Uma horta pedagógica no JI do ONS

O pai e o tio do Cauã fizeram-nos uma grande surpresa: construíram-nos uma horta pedagógica no pátio!
Várias famílias também quiseram colaborar e ofereceram-nos plantas e legumes para plantar.
Vamos poder provar deliciosos tomates, beringelas, alfaces, chá…

O Mestre Zé com os seus ajudantes da EI, recuperaram o lago c/ queda de água e repuxo para satisfação dos peixinhos, que têm agora a água mais oxigenada.

hortaCEI2