A corrida de caracóis

1

Atletas: Lina Baltazar, Vítor Aurora, António Lena, Clara Luís, Zé Divina, Amélia Jaime e Clara Gaspar.

O projeto “os caracóis” surgiu porque encontrámos um caracol na parede da nossa sala que começou a “comer” alguns dos nossos registos.

Em grupo, falámos sobre o caracol e porque é que andava a comer os nossos desenhos. Chegámos à conclusão que deveria ter fome.
– “o que é que os caracóis comem? Perguntou a Beatriz
– “eu também queria saber se eles têm ossos?disse o Ricardo.

Organizámos um grupo com a Beatriz, a Benedita e a Matilde S. que se propuseram investigar os caracóis. Descobrimos que são molúsculos, têm concha, um muco que largam e que os ajuda a subir pelas paredes, não ouvem, são ovíparos, colocam os ovos na terra….,

Entretanto pensámos que deveríamos construir uma casa para o caracol e depois de sabermos que vivem em ambientes húmidos, precisam de terra e comem plantas.
Planeámos a construção de um terrário, fomos à rua recolher areão, pedras, paus, terra.

O pai de um dos meninos trouxe-nos outro caracol.
– “… bem, com dois caracóis é preciso dar-lhes um nome.
Na nossa pesquisa aprendemos que os caracóis são hermafroditas e por isso a decisão foi colocar-lhes um nome masculino e outro feminino. Fizemos a lista dos nomes femininos e masculinos e seguiu-se a votação, o caracol que andava na parede ficou com o nome de Lina Baltazar, o outro é o Vítor Aurora. Mas como foram chegando outros caracóis à sala, vindos dos jardins, da horta…tivemos de escolher outros nomes e hoje vivem no nosso terrário o caracol António Lena, a Clara Luis, o Zé Divina, Amélia Jaime e a Clara Gaspar.

O projeto foi comunicado ao grupo, passámos a ter mais uma tarefa na sala – cuidar do Terrário, porque todos os dias é preciso humidificá-lo.
E como de vez em quando alguns caracóis fogem “a correr” do terrário e vêm espreitar cá para fora… a Educadora Cristina Prazeres propôs:
– “Vamos fazer uma corrida de caracóis?

CEID´Outeiro Sala Intelectual 2015-2016